Chocolate...

Bom dia divinas, tudo bem?!!

Nada como iniciar nossas postagens com um tema tão deliciosamente divino quanto chocolate! Nossa futura nutricionista, Aline Ranilma, trouxe pra nós uma matéria super gostosa, confira:

Existe hora certa pra comer chocolate? SIM!


Se você é daquelas que não consegue viver sem um docinho e quando come um fica morrendo de culpa, pelo menos escolha o melhor horário para saboreá-lo.

O melhor horário para comer um delicioso chocolate é no horário das principais refeições como o almoço ou jantar, quando as fibras solúveis dos legumes e leguminosas estão presentes e colaboram para modular a absorção da glicose e normalizar seus níveis sanguíneos.

Quer saber mais? Vamos lá!

O chocolate é popularmente conhecido como um alimento altamente energético (cerca de 523,8 kcal em 100g), pois possui gorduras saturadas e carboidratos dos açúcares adicionados durante a fabricação.

Com o passar do tempo foram feitas pesquisas que classificaram o cacau (matéria prima do chocolate) como beneficiador da saúde. Segundo Lima (2007), o cacau contém substâncias como polifenóis e os flavonoides, que possuem propriedades antioxidantes. Os antioxidantes, de modo geral, promovem vários efeitos benéficos ao coração e corpo. Dentre os benefícios, está incluída a redução da oxidação do colesterol LDL, redução do risco de trombose e vasoconstrição, e diminuição do risco de formação de placas de gordura nos vasos sanguíneos (HALLIWELL, 2006).

Segundo Botsaris (2007), o chocolate possui ainda em sua composição uma substância que têm a função de melhorar o humor e a atividade mental. Isso poderia explicar o conhecido desejo das mulheres por chocolate, especialmente na fase pré-menstrual onde 40-50% das mulheres que falam em compulsão por chocolates e doces relatam que isso ocorre no período peri menstrual.

Com toda essa descoberta, atualmente a tendência de mercado se volta para o chocolate de origem controlada. Mais caros que o convencional de leite, os chocolates com maior concentração de cacau, como, por exemplo, o chocolate amargo, orgânico e o com soja (direcionado para as pessoas que tem intolerância a lactose, e é isento de glúten), surgem para satisfazer a demanda de consumidores que buscam associar o prazer do sabor com potenciais benefícios para a saúde.

Mas antes de tudo, precisa-se ressaltar que o consumo deve ser feito com moderação, visto ser este, um alimento altamente calórico e que se consumido em excesso aumenta o risco de ganho de peso e obesidade, e com isso, o desenvolvimento de inúmeras doenças graves.
 
Divina dica: "Comer chocolate mel demais não é bom; assim, a busca da própria glória não é glória". (Provérbios 25:27).

Quem contribuiu com esse texto foi:



Aline Ranilma Silva do Nascimento Oliveira
Estudante do 5° período de Nutrição da Universidade Potiguar (UnP).
Contato: aline.r.oliveira@hotmail.com

Comentários

Postagens mais visitadas