Papo love: Sexo, prazer e... responsabilidade?

Bom dia divina!

Semana passada eu consegui chegar cedo em casa e assisti um pedaço da novela Guerra dos Sexos. Estava passando uma cena engraçada do personagem Ulisses (Eriberto Leão) e Vânia (Luana Piovani) tendo calores intermináveis um pelo outro (Que calor é esse?). O chato é que Ulisses tem namorada, uma pobrezinha que ele não tem coragem de acabar o namoro mas fica aos beijos com a outra. Que coisa feia!


Então, uma outra cena que me chamou a atenção foi o Ulisses reclamando com o Nando (Gianecchini) sobre o comportamento da namorada, que não faz sexo com ele, que só quer depois do casamento e que parece que é do tempo "ronca". Hoje, o conceito do Ulisses é o de 99,99% da sociedade. Jovens tem liberdade de decidir qual a hora que terão a primeira relação sexual e há muita liberdade. Se vai rolar no primeiro encontro, no segundo, não importa. O importante é curtir.

A novela retrata a moça que "se guarda" como uma lezada chifruda. Então, a fidelade de um casal que assume um compromisso, por estes parâmetros, só se mantém se houver sexo. Eu sou do tempo em que sexo era coisa importante e especial, do tempo em que os pais ensinavam que quem ama espera, respeita, e traição não é alternativa. Acredito, por experiência própria que isso faz bem, tanto pra o homem quanto para a mulher.

Acho estranho ver esse liberalismo, essa coisa tão descontrolada. Uma relação sexual não deveria ser encarada apenas como experiência de amor e prazer mas algo onde se assumem riscos diversos. Todo mundo sabe e diz que é preciso usar camisinha. Muitas mulheres solteiras tomam pílulas anticoncepcionais. Todos sabem que as DSTs estão por aí, que a AIDS continua matando e o câncer de colo de útero também. Mas além disso, há outros fator que se assume quando você resolve fazer sexo com alguém: a gravidez.

O choque de uma gravidez inesperada...
Nenhum método contraceptivo é 100% seguro. Já estou casada a dois anos e não engravidei mas pode acontecer, mesmo eu tomando o contraceptivo. Já aconteceu com pessoas conhecidas e é uma possibilidade, sim. O único método 100% seguro chama-se abstinência (kkkkk). Mas o que quero dizer com isso tudo, divina? Quero dizer que se você resolver ser atual e moderna, saiba que você e seu parceiro estão assumindo o risco de gerar uma criança, mesmo usando métodos contraceptivos. Uma criança vindo fora de uma estrutura mínima de relacionamento é um problema e tanto.

Não há paixão que resista uma gravidez, fraldas sujas e uma mulher bem chateada e abusada como as grávidas costumam ficar. Mesmo os que planejam sofrem com isso, imagine quando a coisa acontece sem que haja o mínimo de interesse de compromisso entre o casal. Você já imaginou Jennifer Lopez comendo frango com as mãos e suja de frango até os cabelos? Ou arrotando? No filme Plano B, a atriz retrata bem o que passa uma mulher gestante na vida real e como isso é difícil em um relacionamento novo. Família é algo que precisa de planejamento, de compromisso.


Cena do filme Plano B onde Jennifer Lopez gravida come desesperadamente com as mãos

Outro filme interessante é "Ligeiramente Grávidos". É uma situação semelhante onde, por um descuido, uma gravidez acontece. E como é dificil manter o amor (se é que existe), o carinho e  paixão quando as coisas não começam bem. Eu não tenho vergonha de dizer que sou do tempo do ronca, que acredito no casamento e no compromisso entre duas pessoas. Graças a Deus tem dado muito certo pra mim e pra muitos que conheço que também optaram ir por esta via.



Torço pra que você, leitora, também tenha sucesso em seus relacionamentos e faça boas escolhas. A vida não precisa ser séria mas é preciso viver com responsabilidade.

Bejos, fique com Deus!

Comentários

Postagens mais visitadas